Volkswagen Virtus

Fiat Cronos

Honda Civic

Toyota Corolla

Mercado

Segredos e flagras

Boletim CBN

Carro do Ano

Autocast

Motos

Achado Usado

Blog > Conexão Saloma

Modelos

Marcas

Compare

Avaliações

Testes

Comparativos

Jogo Rápido

Nas lojas

Que carro eu compro?

Novo ou usado?

Autocast ao Volante

Oficina

Teste de produtos

Recalls

Segurança

Reportagens

Cuida de mim (vídeo)

Revista digital

Assine

Autoesporte Seguros

Uma oficina mecânica nos Estados Unidos, Quintin Bros passou por apuros nos dias anteriores ao SEMA, maior feira de acessórios e equipamentos automotivos do mundo. A preparação era digna do evento: um Dodge Challenger Scat Pack com peças de fibras de carbono personalizadas, rodas de reposição e freios atualizados. Mas o modelo não foi apresentado no festival como foi montado. A história é bem mais cabulosa do que isso.

Segundo o site Autoblog, cerca de uma semana antes do SEMA, o modelo já estava pronto para exibição, guardado em um pequeno trailer. Enquanto o responsável pela entrega estava no hotel, um ladrão apareceu e levou o combo trailer mais Dodge Challenger.

O ladrão utilizou de suas artimanhas (e de um caminhão também roubado) para conectar o trailer na caminhonete e levá-lo para o meio da estrada, onde o desovou e fugiu com o muscle car.

Na manhã seguinte, o responsável pelo carro descobriu o roubo e avisou a oficina, que informou o proprietário sobre o ocorrido. O trailer foi encontrado, mas obviamente, o Challenger não. A história se espalhou tão rápido pelas redes sociais que o trabalho da polícia de Las Vegas ganhou uma força extra para rastrear o carro.

A busca não foi fácil. O Dodge foi encontrado por duas vezes, que resultaram em perseguições pela polícia. A última, inclusive, foi cinematográfica. A polícia tentou parar o ladrão, que não se sentiu acanhado e até bateu no carro dos oficiais. A perseguição foi parar na estrada com cerca de 15 viaturas perseguindo o modelo, que bateu numa velocidade de 240 km/h.

Apesar da batida e de a polícia ter cancelado a perigosa procura pelo bandido naquele momento, o veículo, já bastante deteriorado, foi abandonado em uma garagem e logo foi recuperado. 

Peter Quintin, um dos donos da oficina, comenta que assim que os policiais descobriram que o carrão seria exposto no SEMA, retiraram as evidências para que a oficina pudesse exibir a raridade.

Entretanto, para ajudar a contar a peculiar história, alguns objetos deixados pelo ladrão ficaram no interior. De quebra, os oficiais conseguiram prender o bandido depois que ele se envolveu em um tiroteio.

Quintin afirma que o Challenger ainda funciona, mas que o mecânico o consertará (ou pelo menos vai tentar) para devolvê-lo ao proprietário.

Verificação de segurança

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui