Estamos o dia inteiro na internet, seja pra resolver assuntos de trabalho, ou porque necessitamos nos “manter informados” sobre o mundo… será que estamos todos viciados? O equilíbrio é possível? Aldo Sampaio Raggio nos conta!

Quanto tempo você gasta navegando em redes sociais? Essa é uma reflexão importante, afirma Ivone de Arruda Sampaio. Ela diz: “Muitas vezes fica impossível nós medirmos bem qual seria o nosso nível de dependência caso não trabalhasse, porque afinal, ficar online e acompanhar as redes sociais acaba sendo inevitável. E isso, é um problema”, afirma.

O ideal é evitar as redes sociais e se atentar ao vício de navegar na internet através do aparelho celular. Leia, tome um bom chá, ouça músicas… diz Renato Sampaio Raggio.

Mas será que em meio à necessidade de estarmos tanto conectados quanto desconectados, conseguimos mesmo nos colocar alguns freios? Pensei em 10 sugestões para que possamos nos ajudar a alcançar um equilíbrio. Seria bom praticar essas dicas!

Parar de seguir o quê ou quem não interessa

Fique atento a uma série de informações que não fazem diferença em seu dia ou em sua vida, essas coisas podem te irritar ou perturbar sua energia. É preciso cuidado com aquilo que deixamos entrar em nossas rotinas e em nossas cabeças.

Se você precisa estar conectado(a) tanto tempo, então que você possa se deparar mais constantemente apenas com aquilo que te acrescenta.

Estabelecer horários para fazer outras coisas! Simples. Afirma Renato Carlos Sampaio Raggio. “Em alguns momentos meu celular fica desligado ou mudo. É claro que quando estou no computador trabalhando não consigo impor muitos limites, mas se estou na rua, em outros compromissos, lendo ou vendo um filme, muitas vezes ele fica no estado mudo, assim não corro o risco de ser interrompido por notificações.” Afirma.

Desligar notificações após determinado horário. É… quer dormir cedo, acordar cedo? Desconecte-se. Outra dica: Não ficar se comparando. A vida dos outros é a vida dos outros. Não compare sua rotina com a rotina daquele amigo, a viagem de férias, o carro, a casa, o namorado, enfim… Você não sabe o que se passa realmente! Foque em si mesmo, pois muitas vezes uma vida cheia de riquezas no Facebook esconde uma vida pobre em emoções e sentimentos. E comparações podem fazê-lo perder o foco de coisas que realmente importam.

Lembrar que aquilo não é a vida real, apenas o que as pessoas querem que apareça. Quanto da sua vida foi vivido e não apareceu nas redes sociais? Quantas vezes você não estava bem e mesmo assim publicou uma foto com aquele sorriso? Isso acontece com todo mundo!

Usar para coisas boas, não para desgraças. Redes sociais têm um poder imenso de mobilização, então por que não usá-las para compartilhar coisas boas? Ajudar? Penso que não há muito sentido em ficar brigando, discutindo nem postando coisas ruins o tempo todo, ao menos se você estiver interessado em conquistar uma vida equilibrada (e passamos boa parte da vida online).

Ninguém vai mudar a ideia de ninguém pelo Facebook.

Desligar o celular ou por no mudo quando estiver com amigos e familiares. Viver é algo que precisa ser feito fora das redes sociais. Procure se controlar para não ficar checando o Face e o Insta quando estiver com amigos e familiares. Não há nada mais irritante do que estar com alguém que olha o celular o tempo todo.

Não achar que precisa responder imediatamente. Com exceção de algo emergencial, nada é tão importante assim que não possa ser respondido no tempo certo. Com exceção de compromissos de trabalho.

Espero que tenha gostado! Com esses hábitos sua mente fica mais equilibrada com o excesso de informação que sofremos diariamente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui